notícias

O divórcio pode ser feito em cartório

Quando as partes estão de acordo, é possível realizar o procedimento de forma simplificada em um tabelionato de notas

O rompimento afetivo dos casais muitas vezes requer a intervenção do Judiciário para resolver questões como a separação e o divórcio, além da partilha de bens, guarda de filhos e pensão alimentícia. Mas a necessidade de uma intervenção do Estado tem se tornado cada vez menos necessária. Esse é o caso do divórcio consensual extrajudicial: quando ambas as partes estão de acordo com o que cada um terá de direito. Neste caso, o divórcio pode ser feito de forma simplificada, em um cartório.

O divórcio é a dissolução total do casamento. Os requisitos para que o divórcio seja extrajudicial, feito em cartório, é que ele seja consensual e que o casal não tenha filhos menores de 18 anos ou incapazes. Se o casal tiver filhos menores ou incapazes, o rito deve ser judicial.

A separação consensual (ou amigável) segue um protocolo simples: basta que o casal compareça a um Cartório de Notas, caso decida não utilizar a Justiça Comum, e oficialize o requerimento. Mas apesar de o procedimento ser simples, a Lei exige a presença de um advogado. Pode ser um profissional para ambos, ou para cada um. Isso é necessário para que haja total ciência das partes sobre o que está sendo acordado.

A utilização da via extrajudicial deve seguir as regras dispostas na Resolução n. 35/2007 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e na Lei n. 11.441/2007 – que trata justamente da realização, por via administrativa de inventário, partilha, separação e divórcio consensuais.

Fonte: Agência CNJ de Notícias

 
 
Voltar
 

Cartório MÁRIO FERRARI

Rua Pinheiro Machado, 2018
Centro Comercial Magus
Caxias do Sul - RS - Brasil
(54) 3025.6773
(54) 3021.9777

Horário de Atendimento:
De segunda à sexta das 09h às 17h
* Sem fechar ao meio dia

Possuímos convênio com o estacionamento da parte inferior prédio.

Aceitamos Cartões de Débito

Siga-nos

Acessos até hoje:
Contador de acessos